Bruna Souza Cruz/UOL

A chinesa Xiaomi fez barulho com seu retorno ao Brasil, anunciado no último dia 21, e deseja fazer mais. Neste sábado (1º), a empresa inaugurou a sua primeira loja física em território nacional. Se você ainda não a conhece, saiba que ela é uma das principais fabricantes de smartphones do mundo. Uma forte concorrência para a SamsungHuawei e Apple.

Localizada no Shopping Ibirapuera, zona sul de São Paulo, uma das apostas da fabricante para o primeiro dia de vendas são os descontos. Logo de cara, vai dar até 30% em alguns produtos. Como o celular Redmi Note 7 (64GB + 4GB de RAM) que será vendido hoje por R$ 1.299 cada (300 unidades no total). Além disso, 100 aparelhos do modelo Mi 9 (128GB + 6GB de RAM) sairão por R$ 2.799 cada.

Bruna Souza Cruz/UOL

Por volta das 9h, a fila de espera para a inauguração da loja da Xiaomi virava o quarteirão do Shopping IbirapueraImagem: Bruna Souza Cruz/UOL

Já imaginando que a inauguração– marcada para às 10h de hoje– poderia atrair bastante gente, os amigos Rodrigo Matos, 23, e Rodrigo Libório, 33, se anteciparam e chegaram no local na quinta-feira (30).

Inicialmente, "acamparam" perto das lojas próximas a da Xiaomi dentro do shopping. Mas durante a noite não teve jeito. Tiveram que dormir (ou pelo menos cochilar) na rua mesmo.

A promessa de descontos e o fato de já serem fãs da fabricante há tempos foram duas grandes motivações. Nem a chuva de granizo, o frio e nem a fome impediram os jovens, contaram ao UOL Tecnologia. Com tanta antecedência, eles garantiram o primeiro lugar na fila.

Bruna Souza Cruz/UOL

Rodrigo Matos e Rodrigo Libório chegaram antes e foram os primeiros a entrar na nova lojaImagem: Bruna Souza Cruz/UOL

"Chegamos aqui às 13h da quinta. São 45h seguidas de fila. Arrumamos papelões para nos proteger do frio. Mas tudo está valendo a pena. Parece que a gente está sonhando. Quando a gente soube que a Xiaomi viria para cá, a gente já se falou e decidimos que a gente teria que vir para cá o mais rápido possível", explicou Matos, que é professor de música.

"Já trabalhei para várias empresas de tecnologia e acompanho a marca há muito tempo. Posso falar com toda clareza que sou um Mi fã", acrescentou Libório.

A mesma motivação também envolveu a coordenadora de tecnologia Flávia Castro, 44, e sua sobrinha Sabrina Castro, 15. As duas chegaram na fila nas sexta-feira (31) às 20h.

"Ontem mesmo eu liguei para a minha sobrinha correndo e disse ‘a fila está se formando. Venha para cá agora’. Ela saiu do treino de vôlei e veio correndo. Estamos aqui desde então", destacou Flávia.

Bruna Souza Cruz/UOL

Flávia Castro e a sobrinha Sabrina chegaram na noite de sexta-feira para aguardar a inauguração da lojaImagem: Bruna Souza Cruz/UOL

Dona de um smartphone modelo Redmi 5, a tia contou que não se arrependeu da compra feita no exterior há cerca de um ano. O objetivo de tanta animação é porque a sobrinha vai ganhar um celular novo em comemoração ao aniversário de 15 anos.

"Os preços são muito interessantes. Eu quero ver se consigo comprar o Mi 9 para ela. Quem sabe eu também não compre um para mim. Quero ver o Redmi 7. A qualidade do celular, a bateria, o desempenho dos aparelhos da Xiaomi são muito bons. Eu já testei e garanto. O custo-benefício é bem legal", acrescentou.

Como é a loja?

Uma hora antes da abertura oficial da unidade, jornalistas puderam conhecer de perto as novidades (e os preços) que ela trouxe oficialmente para o Brasil. A variedade de itens é o que mais chama a atenção.

Bruna Souza Cruz/UOL

A loja da Xiaomi tem um conceito que permite que os consumidores "degustem" os produtosImagem: Bruna Souza Cruz/UOL

Além dos modelos de celulares da Xiaomi, é possível encontrar mochilas, escova de dentes, fones de ouvido, lâmpadas inteligentes, patinetes elétricos, óculos e até um modelo guarda-chuva. Tudo da marca.

A unidade tem um estilo "experimente você mesmo", onde os produtos ficam expostos e qualquer pessoa pode chegar e "degustar". É bem parecida com o conceito Apple Store de ser.

Confira abaixo alguns produtos e seus respectivos preços:

Celulares

O top de linha Mi 9: valor promocional de R$ 2.799. Mas o preço oficial é de R$ 3.999.

O intermediário Redmi Note 7: valor promocional de R$ 1.299. Preço oficial de R$ 1.699

O intermediário Mi 8 Lite: R$ 2.499 (4 GB de RAM e 64 GB de memória) e R$ 2.999 (6 GB de RAM e 128 GB de memória)

O intermediário Redmi 7: R$ 1.499 (3 GB de RAM e 32 GB de memória) e R$ 1.699 (3 GB de RAM e 64 GB de memória).

O básicos Redmi Go: R$ 799

Outros eletrônicos

Patinete Elétrico M365: R$ 3.999,99

Bicicleta elétrica dobrável: R$ 8.999,99

Escova de dentes elétrica: R$ 329,99 (o refil adulto para a escova custa R$ 149,99 e, segundo a vendedora, a recomendação é que ele seja trocado a cada três meses)

Mi Band 3 – R$ 199 (a pulseira extra custa R$ 29,99 e o cabo USB carregador custa R$ 39,99)

Mouse sem fio wireless – R$ 119,99

Nem tão eletrônicos assim…

Mochila Casual Daypack: R$ 65,99

Mochila Business Backpack: R$ 199,99

Cubo antiestresse – R$ 24,99

Óculos bloqueador de raio azul: R$ 199,99

Guarda chuva inteligente: R$ 199,99 (ele abre e fecha automaticamente. Segundo a vendedora, o tecido do produto seca mais rápido do que os outros).

Xiaomi: o retorno

A fabricante estava fora do Brasil desde 2016. Em fevereiro deste ano, os fãs da marca se animaram com a parceria firmada com a empresa DL, que trouxe ao país dois modelos: o Pocophone F1 e o Redmi Note 6 Pro.

Há quase duas semanas, a Xiaomi fez um evento para anunciar sua estratégia "pé no peito" com o início das vendas de vários produtos no Brasil. Nada menos do que cinco celulares foram anunciados.

A parceria com a DL envolve a importação dos eletrônicos da Xiaomi e não a produção dos mesmos. Um diferencial para convencer os entusiastas da marca é que a compra dos produtos por intermédio da empresa brasileira tem garantia local e assistência técnica.

Conheça os smartphones fabricados pela Xiaomi:

Mi 9

Este é talvez o melhor modelo de celular da Xiaomi atualmente. Lançado lá fora em fevereiro, ele tem vários recursos modernos como o design arrojado com traseira de vidro e corpo de metal, a tela grande com entalhe em gota, câmera tripla e bastante memória. A câmera vem com um sensor enorme de 48 MP que ajuda na definição das imagens, além de outras duas lentes com grande angular e zoom ótico. Outra grande vantagem é o sensor de digitais por baixo da tela.

Ficha técnica: Mi 9

Tela: 6,39 polegadas Amoled com resolução Full HD +
Processador: Snapdragon 855 (2,84 GHz)
Câmera: traseira tripla (48 MP + 16 MP grande angular + 12 MP telefoto) e frontal (20 MP)
Memória: 6/8 GB (RAM) e 64/128 GB (armazenamento)
Bateria: 3.300 mAh
Preço: R$ 3.999 (versão 6 GB/64 GB)

Divulgação/

Xiaomi Mi 8 LiteImagem: Divulgação

Mi 8 Lite

Lançado no ano passado, o aparelho é uma versão menos potente do top de linha anterior da marca, o Mi 8. Ele possui processador intermediário e câmera dupla com recurso dual pixel para melhorar velocidades de foco, além de um espaço interno de 64 GB, suficiente para acolher as fotos de WhatsApp da maioria dos usuários.

Ficha técnica: Mi 8 Lite

Tela: 6,26 polegadas Amoled com resolução Full HD +
Processador: Snapdragon 660 (2,2 GHz)
Câmera: traseira dupla (12 MP + 5 MP) e frontal (24 MP)
Memória: 4/6 GB (RAM) e 64/128 GB (armazenamento)
Bateria: 3.350 mAh

Reprodução/

Redmi Note 7 merece destaque por seu conjunto de câmerasImagem: Reprodução

Redmi Note 7

Intermediário da Xiaomi, o Redmi Note 7 vem ao Brasil com um preço um pouco salgado para brigar com marcas como a Samsung e a Motorola. O smartphone custará R$ 1.699, mais barato do que o cobrado por aparelhos como o Galaxy A50, o Motorola One Vision e o Galaxy A7. O modelo conta com uma poderosa câmera dupla de 48 MP de resolução e um design com cor no estilo gradiente na traseira. A tela também ocupa quase toda a frente, com entalhe em gota.

Ficha técnica: Redmi Note 7

Tela: 6,3 polegadas Full HD+
Processador: Snapdragon 660 (2,2 GHz)
Câmera: traseira dupla (48 MP + 5 MP) e frontal (13 MP)
Memória: 4 GB (RAM) e 128 GB (armazenamento)
Bateria: 4.000 mAh
Preço: R$ 1.699

Reprodução/

Xiaomi Redmi 7Imagem: Reprodução

Redmi 7

O Redmi 7 é um modelo básico da Xiaomi, que chega ao Brasil com preços semelhantes aos praticados por concorrentes como o Galaxy MGalaxy A Moto G7. Destaque para a câmera dupla na traseira e a tela com entalhe em gota, com poucas bordas.

Fica técnica: Redmi 7

Tela: 6,26 polegadas LCD HD+
Processador: Snapdragon 632 de 1,8 GHz
Câmera: traseira dupla (12 MP + 2 MP) e frontal (8 MP)
Memória: 2 GB (RAM) e até 16 GB (armazenamento)
Bateria: 4.000 mAh

Divulgação/

Xiaomi Redmi GoImagem: Divulgação

Redmi Go

Modelo de entrada da marca chinesa, ele conta com o Android Go, sistema operacional do Google otimizado para celulares baratinhos e com pouca memória interna. O aparelho é similar a concorrentes como Zenfone Live, Moto G7 Play e Galaxy J4.

Ficha técnica: Redmi Go

Tela: LCD de 5 polegadas com resolução HD
Processador: Snapdragon 425 de 1,4 GHz
Câmera: traseira (8 MP) e frontal (5 MP)
Memória: 1 GB (RAM) e 8 GB (armazenamento)
Bateria: 3.000 mAh

*Com reportagem de Gabriel Francisco Ribeiro

 

Fonte(S) UOL Tecnologia