Após críticos apontarem que o excesso de notícias falsas no Facebook teria contribuído para a eleição de Donald Trump como presidente dos EUA, a rede social se pronunciou sobre o assunto.

Em um comunicado enviado para o TechCrunch, o Facebook destacou que trabalha contra a desinformação na rede, mas acabou admitindo que ainda precisa melhorar neste sentido.

“Levamos a desinformação no Facebook muito a sério. Valorizamos a comunicação autêntica, e ouvimos consistentemente dos usuários do Facebook que eles preferem não ver desinformação. No Feed de Notícias, usamos vários sinais com base no feedback da comunidade para determinar quais posts provavelmente trazem informação imprecisa, e reduzimos sua distribuição. No Trending, olhamos para uma variedade de sinais para ajudar a ter certeza de que os assuntos mostrados refletem acontecimentos do mundo real, e tomamos medidas extras para evitar o aparecimento de conteúdo falso ou enganoso. Apesar desses esforços, entendemos que ainda há muito mais que devemos fazer, e é por isso que é importante que continuemos melhorando nossa habilidade para detectar informações enganosas. Estamos comprometidos a continuar trabalhando neste problema e em melhorar as experiências da nossa plataforma”, afirmou o VP de gerenciamento de produtos do Facebook, Adam Mosseri.

 

Fonte: IDG Now